ESTE BLOG PRETENDE ABORDAR OS DIVERSOS TEMAS RELACIONADOS À SAÚDE DE FORMA SIMPLES, DIRETA E ABRANGENTE.

07/11/2009

Prótese de mandíbula reproduz condições mecânicas originais

Uma mandíbula artificial com as mesmas características mecânicas do osso original, como resistência, rigidez e flexibilidade, feita com um material sintético concebido de modo inovador por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos, no interior paulista, foi implantada com sucesso em novembro do ano passado em uma paciente com câncer.
Prótese - Trata-se de um material sintético, composto por um polímero de poli (matecrilato de metila) ou PMMA, um tipo de acrílico, reforçado internamente com fibras de carbono.
Implante - É denso internamente e poroso na superfície, sendo que os poros são revestidos com um estimulador de crescimento ósseo.
O gel de carboximetilcelulose é o agente que induz a criação de poros na superfície do material, identificados pelas características dimensionais bem definidas, pela densidade e pelo fato de serem abertos e interconectados, o que propicia condições para ancorar um estimulador de crescimento ósseo.



O Estimulador de crescimento ósseo escolhido para revestir os poros é a hidroxiapatia, o mineral básico da composição dos ossos. Os orifícios tem tamanho adequado para que a mucosa e os músculos possam penetrar e se ligar na estrutura, estimulando o crescimentos dos tecidos.
Como é feito o procedimento hoje em dia - O cirurgião durante a cirurgia, retira o osso de outros lugares do corpo e modela o enxerto, fixado com placa de titânio, porém quando um osso mesmo sendo do próprio paciente é retirado do local de origem ele perde a condição de um tecido vivo e fica sujeito a infecções e ao processo de reabsorção do organismo.
Os benefícios já se mostram no processo cirúrgico - A colocação da prótese de material artificial gastam-se cerca de duas horas e meia a cinco horas, enquanto pelo método tradicional de enxerto ósseo esse tempo pode ser estendido até por 10 horas, em média.


Bibliografia


Revista – Ciência e Tecnologia no Brasil – Pesquisa Fapesp – Novembro 2009 – Nº 165 – páginas 76/77

4 comentários:

  1. Com certeza uma inovação que vai trazer mais qualidade de vida para quem sofreu alguma multilação na mandíbula, que maravilha esse tipo de descoberta, é claro que as custas de muita pesquisa.

    ResponderExcluir
  2. Hoje o que a pesquisa em uma país, aula de Inovação do Zé Paulo.
    Benefícios para todos.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom essa avanço

    mais com eu que levei um tiro ne ponto40 na mandíbula posso ter acesso nessa prótese ?

    ResponderExcluir
  4. Abimael provavelmente sim, ja se tem casos de pessoas com perda quase total da mandubula que puseram peças artificiais, na holanda uma mulher ate ja voltou a falar, com quase um ano de cirurgia.
    acho que é o inicio das proteses dessa forma.
    tbm tem o caso de um conhecido meu que teve o rosto inteiro desfigurado por pancadas em um assato, com umas 20 cirurgias pouco se nota o resultado é otimo

    ResponderExcluir